3 dicas de fluxo de caixa para microempresários iniciantes

Atualizado: Jul 5

Ter um bom controle de fluxo de caixa é muito importante para o sucesso do seu negócio.

Foto: Pixabay


Você está querendo começar seu negócio mas não sabe muito bem o que é fluxo de caixa?


Sabia que, segundo o SEBRAE, uma dos maiores motivos de empresas quebrarem é a falta de gestão e conhecimento?


Um bom controle de fluxo de caixa pode salvar sua empresa! Fica comigo que vou te ajudar com algumas dicas que vão melhorar a gestão do caixa da seu microempresa.


O que é e para que serve o Fluxo de Caixa?


De forma bem simples, o Fluxo de Caixa é uma ferramenta que te ajuda a saber quanto dinheiro você tem para operar sua empresa. De modo geral, é isso.


Entretanto, não podemos simplesmente olhar o saldo do banco e acabou...


É preciso ter uma visão dos gastos futuros...


É preciso saber se vai ter grana para pagar aquela conta de luz que vence na semana seguinte; quando será o período de mais atenção para não ficar devendo ninguém e correr o risco de ter alguns serviços cortados por falta de pagamento.


Então, para fechar o raciocínio, o fluxo de caixa é uma ferramenta que auxilia na gestão do dinheiro que sua empresa tem juntamente com o que ela tem a pagar e a receber.


É com ele que você vai conseguir definir regras para recebimento e pagamento. Como por exemplo: "Qual o prazo máximo que vou dar ao meu cliente para pagamento?" - tudo isso tem que ser pensado...


Além disso te ajuda a verificar se sua microempresa pode assumir determinado compromisso. Tipo: fazer um alto investimento parcelado em 12x - e ter certeza que conseguirá arcar com as parcelas.


Qual a importância do Fluxo de Caixa para minha microempresa?


Se você quer que seu negócio cresça, não tem jeito é preciso gerir seu fluxo de caixa de forma eficiente.


Geralmente as microempresas carecem de capital de giro e dependendo de sua atividade qualquer crise no mercado pode quebrá-la.


O acesso à crédito para microempresários é limitado. E, mesmo que consiga o dinheiro emprestado é preciso ter um fluxo de caixa saudável para pagar o empréstimo. Ah, e lembre-se: "A melhor hora de pegar um empréstimo é quando menos se precisa."


Foto: Pixabay


O Fluxo de Caixa não é nenhum bicho de 7 cabeças...todo mundo pode aprender e ninguém nasceu sabendo.


Hoje em dia existem inúmeras plataformas online que nos ajudam nessa tarefa, como:



Aqui na Pipo Locações nós já usamos o Nibo que nos serviu muito bem por um tempo. Ele é bastante simples e intuitivo de usar. Mas migramos para o Conta-Azul pois apresenta o recurso de controle de estoque que para a gente passou a ser essencial.


Essas plataformas geralmente cobram assinaturas bem baratinhas para quem tem um micronegócio. Cabe no bolso!


Além disso você pode usar planilhas de controle, ou um bloquinho. O importante é fazer o dever de casa e controlar as entradas e saídas atuais e futuras de caixa.



O Fluxo de Caixa é a artéria principal de sua empresa. Sem ele, infelizmente, sua empresa pode estar fadada ao fracasso.


Então vamos para as dicas...


3 dicas simples para não quebrar seu Fluxo de Caixa


Antes de mais nada, é importante frisar que essas dicas apenas não vão te impedir de quebrar. Muita coisa interfere, e muita coisa tem que ser aprendida também. Conhecimento é uma busca constante.


Então vou te passar as dicas que nós usamos na gestão da Pipo Locações:


  1. Atenção aos prazos: Aqui não cabe achismo. É preciso saber certinho o vencimento das contas. E qual a expectativa de receber algum valor. Afinal, vamos imaginar que estamos temos R$ 100,00 no caixa - e uma conta de luz no valor de R$ 95,00 venceu ontem gerando uma multa de R$ 7,00. Por uma falta de cuidado, ficaremos com o caixa negativo.

  2. Gasto seu é gasto SEU! Gasto da empresa é gasto da EMPRESA!: Um dos pecados mais fatais na gestão do caixa de uma empresa. Misturar gastos pessoais com gastos da empresa dificultam o controle, e favorece para que tanto você quanto a empresa fiquem sem dinheiro. A sugestão é que seja estipulado um Pro Labore. Um valor que dê para você se manter sem que isso atrapalhe a existência da empresa. Ter disciplina é fundamental.

  3. Use Ferramentas: O uso de ferramentas é um grande aliado de nós microempresários. Você pode escolher usar plataformas online de gestão financeira, planilhas feitas por você ou compradas na internet, ou até mesmo um caderninho. O importante é que você consiga controlar o fluxo de dinheiro da sua empresa de forma prática e que funcione.


Dica BÔNUS!


  • Tenha uma Fundo de Emergência: ter um fundo de emergência é basicamente ter disponível, guardando uns 6 a 12 meses do custo fixo da sua empresa. Ou seja, se você tem um custo fixo de R$ 1.000 por mês. É legal ter guardado no mínimo R$ 6.000. É claro que talvez você não consiga essa grana de uma hora para outra. Construa esse fundo aos poucos. Reserve uns 5% do seu faturamento mensal para esse fundo. Ele vai permite que você tenha tranquilidade quando estiver passando por um momento de crise; quando cair o movimento ou tiver uma despesa imprevista. E claro, você pode usá-lo para aproveitar uma oportunidade, como por exemplo adquirir um produto para revenda a um preço mais barato que o de costume.


Pessoal, é isso espero que tenham gostado desse post! Preparei ele com muito carinho para vocês! Fluxo de caixa é um assunto extenso mas muito produtivo e saber gerenciar ele com certeza vai te trazer muitos bons resultados!

Fontes:

Site Administradores

SEBRAE


21 visualizações

Mais informações

(21) 99547-3798

(21) 98576-3919

Pipo Locações de Mesas e Cadeiras

MENU

MAIS BUSCADOS

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram

Todos direitos reservados | Política de Privacidade